Into



Voluntariado

 
O que é ser voluntário?


Voluntário é um ator social e agente de transformação que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade. Ele doa seu tempo, seus conhecimentos e realiza um trabalho gerado pela energia de seu impulso solidário - atendendo tanto às necessidades do próximo ou aos imperativos de uma causa, quanto às suas próprias motivações pessoais, sejam estas de caráter religioso, cultural, filosófico, político ou emocional.



Objetivos do serviço voluntário:

Execução de tarefas destinadas à melhoria da qualidade de vida dos pacientes internados e em atendimento ambulatorial, com consequente redução dos seus níveis de ansiedade.
Proporcionar uma melhor interação entre os usuários, elevando a autoestima e ajudando a minimizar os quadros de dor dos pacientes assistidos pelo programa. Os voluntários dividem-se no desenvolvimento e execução de atividades lúdicas e recreativas.


Quem pode ser voluntário?


Para ser um voluntário do INTO é necessário:

Idade superior a 18 anos;
Documentação civil regularizada;
Condições de saúdes física e mental;
Não ser portador de qualquer dependência química;
Capacidade de enfrentamento de situações, como adoecimento e morte; 

Disponibilidade de tempo de até 3 horas semanais, de 2ª a 6ª feira, das 8 às 17h.


Entrevista

O voluntário interessado em prestar serviços no INTO terá uma entrevista agendada com a Coordenação do Voluntariado. A entrevista terá como preocupação a verificação dos dados pessoais, a discussão dos interesses do entrevistado e da instituição, o esclarecimento das condições reais de execução de cada atividade e as normas institucionais.

Treinamento

Uma vez selecionado na entrevista, o voluntário será convidado a participar de um treinamento multiprofissional, que proporcione uma imersão na realidade da instituição, incluindo o perfil dos pacientes (etiológico, sócio-econômico, entre outros), prevenção da infecção hospitalar e noções de ética no ambiente hospitalar.

No treinamento, os voluntários assinam o Termo de Adesão, além de receberem apostila, uniforme e crachá.

Avaliação

A avaliação do desempenho dos voluntários será contínua, através da observação direta da equipe responsável, bem como entrevistas individuas e reuniões com o grupo de voluntários, levando em conta a assiduidade e o cumprimento das regras expressas no Termo de Adesão.

Além disso acompanharão à ficha de cadastro, a ficha de auto-avaliação do voluntário, bem como reclamações/elogios encaminhados pelos profissionais de saúde e pacientes. O desempenho dos Voluntários será avaliado também por pesquisas semanais junto aos pacientes das diversas enfermarias, realizadas pela própria Coordenação do Voluntariado.

Possíveis Atividades de um Voluntário

Cada atividade tem seus próprios pré-requisitos e exigências e tem de ser avaliada caso a caso.

Contador de Histórias e Leitor (para crianças e adultos);
Cabeleireiro (corte);
Artista Plástico (desenho, pintura, escultura, etc);
Elaborador de Material Gráfico (cartões de natal, aniversário, dia das crianças, festas comemorativas, entre outros);
Recreador (trabalho com jogos e brinquedos voltados para crianças);
Músico (para apresentações programadas, etc);
Coral com pequeno número de participantes (para apresentações curtas);
Mágico (para pediatria e adultos);
Artesão (crochê, tricô, cestaria, origami, bordado, etc.);
Comunicador (escrever cartas e cartões);
Distribuição de Kits Infantis no Ambulatório;
Recreação de adultos (jogos diversos e bingo);
Distribuição de Material de Leitura no ambulatório e nas enfermarias.


Deveres e Direitos do Voluntário

DEVERES

1 - APRESENTAR-SE ao paciente como VOLUNTÁRIO;
2 - Buscar ajuda dos profissionais de saúde sempre que o paciente demonstrar alguma necessidade;
3 - NÃO CAPTAR RECURSOS sem consentimento expresso do INTO;
4 - Cumprir a carga horária semanal definida no TERMO DE ADESÃO e assinar lista de frequência na sala do voluntariado. A ausência não justificada por mais de 4 semanas representará o desligamento automático;
5 - NÃO DAR informações às imprensas falada, escrita ou televisiva sobre a entidade sem o prévio consentimento da Direção;
6 - Escrever no livro de ocorrências do setor qualquer anormalidade ocorrida durante a execução da atividade;
7 - Ler com atenção a LEI FEDERAL 9.608 de 18 de fevereiro de 1998, que dispõe sobre o serviço voluntário;
8 - Não emitir opinião para o paciente sobre o seu estado de saúde;
9 - Guardar sigilo quanto aos problemas dos assistidos, sejam eles diagnósticos médicos, problemas familiares ou outros;
10 - Permanecer nas dependências do INTO apenas pelo tempo declarado em seu TERMO DE ADESÃO;
11 - Permanecer no INTO apenas quando também estiver presente pelo menos um membro da equipe responsável pelo projeto;
12 - Realizar no INTO APENAS as atividades declaradas no termo de adesão;
13 - Realizar qualquer ação com o paciente APENAS APÓS O CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO do mesmo;
14 - Reportar-se APENAS à equipe profissional responsável pelo projeto, sempre que for desenvolver uma atividade;
15 - Ser cordial e usar linguagem adequada;
16 - Submeter o seu trabalho à avaliação da equipe responsável pelo projeto, sempre que solicitado;
17 - Submeter-se a um TREINAMENTO e às regras fixadas durante o mesmo;
18 - Comparecer ao INTO sempre uniformizado e com crachá;
19 - NÃO VENDER qualquer tipo de mercadoria dentro do INTO;
20 - Zelar pelo material que está sob sua responsabilidade.


DIREITOS


1 - Dispor dos recursos necessários à execução do seu trabalho, na medida das possibilidades do INTO;
2 - Ser tratado com cordialidade e respeito pela equipe de profissionais do INTO;
3 - Suspender a execução de suas atividades no INTO sempre que necessite. É desejável que comunique à equipe responsável oficialmente com, no mínimo, uma semana de antecedência;
4 - Obter esclarecimentos da equipe técnica que sejam importantes para a realização de sua atividade;
5 - Receber um uniforme e crachá de identificação;
6 - Receber reconhecimento e estímulo;
7 - Participar de reuniões semestrais com a equipe responsável, emitindo opiniões e sugestões para contínua melhoria do trabalho.


Como é feito o recrutamento?



Pessoalmente no setor;
Mediante prévio agendamento telefônico - telefone: (21) 2134-5523 (Alexsandra, Isabela ou Alessandra Cabral);
Através do formulário disponível nesta página.


 

 

 




Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad
Avenida Brasil, 500 - São Cristovão - Rio de Janeiro - RJ | Cep: 20940-070 | Tel.: 55 (21) 2134-5000